“ Um violão impecável “
Ronaldo Miranda – Jornal do Brasil

“ Um recital de ouro, Marcus Llerena continua sendo hoje, um dos melhores violonistas saídos do Brasil “
Colin Cooper – Revista Classical Guitar – Inglaterra

“ ..nesta gravação, Llerena confirma seu talento de músico completo “ 
Jean- Yves Bras – Revista Diapason – França

“...um instrumentista de fina sensibilidade “
William Zargorski- Revista Fanfare- USA

“ Llerena renova repertório do violão “
Antônio Gonçalves Filho – Estado de S. Paulo

“ Llerena apresenta incrível técnica,digna de ser vista ao vivo “
Thérèse Wassily –Revista Classical Guitar- Inglaterra

“ A Música é de Ouro ! “
Jornal La Voix du Nord- França

“ Marcus Llerena, mágico do violão ! “
Jornal Echo Republican- França

“ Foi um belíssimo concerto, de muito bom gosto de repertório e realizado no mais alto nível ...”   
Henrique Pinto -  Professor e Produtor- S. Paulo / Brasil

Nascido em Santos (SP), Marcus Llerena começou seus estudos de violão clássico com Norberto Macedo no Riode Janeiro, D. Áureo e Rocio Herrero na Espanha, Oscar Cáceres na França e teve o privilégio de tocar para Andrés Segóvia em Nova Iorque. 
Seu currículo conta com importantes prêmios conquistados no Brasil, como  Violões de Ouro (Rede Globo de Televisão - 1978) e o Concurso Internacional de Porto Alegre - 1978 , no exterior, obteve os primeiros prêmios no Conservatório de Madrid (1976-77), Sablé sur Sarthe - 1983 e  Prèsence de la Musique, pela Fundação Yehudi Menuhin - 1988.
Durante a temporada que passou na França,  lecionou violão e música de câmera nos  conservatórios de St. Leu d´Esserent, St. Maximim e Avilly  St. Leonard ,  também teve o prazer de se apresentar em  prestigiosas salas de concerto parisienses como Salle Gaveau, Cortot, Theatre de l´Oeuvre, Adyar , Sainte Chapelle, entre outras.
Como professor convidado, participou dos festivais de Música de Cascavél PR , Campos do Jordão SP e  Vale do Café RJ entre os mais importantes, como solista, atuou com orquestra sob  a regência de Isaac Karabtchevsky, Ernst Mahle,  Simon Blech, Julio Medaglia, Daniel Bortholossi e Léon Halégua, com quem solou o Concierto de Aranjuez de Joaquin Rodrigo no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.
Em 2002 fez turnê pela China a convite da Feira de Comércio Brasil - China e no mesmo ano mudou-se para Santa Catarina, onde ocupou o cargo de Coordenador de Música da Fundação Cultural de Joinville (2002-2004), nessa mesma cidade fundou a Orquestra 6/8 violões com a qual se apresenta desde 2009 e já tem um CD lançado.
Llerena em entrevista à Classical Guitar Magazine, é citado por Gennady Zalkowitz, como um dos pilares da música moderna brasileira para violão, tanto por suas gravações como a inclusão em seus programas , de novas e significativas obras de compositores brasileiros, ainda inéditas do público apreciador no exterior.